Portal de Eventos - UEM, VI CONGRESSO INTERNACIONAL DE PEDAGOGIA DO ESPORTE / III CONGRESSO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE OLÍMPICO

Tamanho da fonte: 
VALIDADE DO TESTE SHUTTLE RUN DE 20 METROS EM ADOLESCENTES ATIVOS E INSUFICIENTEMENTE ATIVOS DE 11-13 ANOS DE IDADE
Mariana Biagi Batista, Gabriela Blasquez Shigaki, Maria Raquel Oliveira Bueno, Luiz Roberto Paez Dib, Enio Ricardo Vaz Ronque

Última alteração: 2015-08-31

Resumo


O objetivo do presente estudo foi verificar a validade do teste shuttle run de 20 metros (SR-20m) em adolescentes ativos e insuficientemente ativos de 11-13 anos de idade. Participaram do estudo 115 adolescentes, sendo 61 rapazes (12,2±0,9 anos) e 54 moças (12,1±0,7 anos). Informações da atividade física habitual foram avaliadas por um instrumento retrospectivo de auto-recordação, que classificou os sujeitos em ativos e insuficientemente ativos. Os adolescentes realizaram um teste progressivo e máximo em esteira para determinação direta do consumo de oxigênio de pico (VO2pico). O teste SR-20m seguiu as recomendações de Léger et al. (1988) e, para o cálculo do VO2pico utilizou-se a equação proposta por Mahar et al. (2006). O desempenho da equação para estimativa do VO2pico apresentou valores de erro padrão de estimativa iguais a 5,9ml/kg/min, 5,5ml/kg/min e 5,7ml/kg/min para os ativos, insuficientemente ativos e amostra total, respectivamente. A análise de concordância verificou que o VO2pico predito pelo SR-20m superestimou o VO2pico medido diretamente apenas nos adolescentes insuficientemente ativos (viés = -1,60ml/kg/min; P=0,036). Conclui-se que a estimativa do VO2pico pelo SR-20m, utilizando-se a equação proposta por Mahar et al. (2006), pode ser considerada válida para adolescentes de 11-13 anos de idade, principalmente para os ativos fisicamente.

Palavras-chave


aptidão física; teste de campo; jovens

Texto completo: PDF